No Jardim do Ogro

Ela pode chocar, mas não surpreende. Não pelo tema. “No Jardim do Ogro” (Tusquets, 2014) é o primeiro romance de Leïla Slimani, embora “Canção de Ninar”, de 2016, tenha sido seu livro de estreia, com boa recepção por leitores brasileiros. Entre os dois, prefiro “Canção de Ninar”. Para um primeiro romance, dá gosto ver a Leia mais… »

“Os meninos vão olhar pra minha bunda e querer ficar comigo?”

As redes sociais abriram espaço para a proliferação das denúncias. O movimento #MeToo ampliou a força e a voz das vítimas. As mulheres botaram a boca no trombone e revelaram abusos e abusadores protegidos há décadas pelo machismo estrutural. Infelizmente, é necessário aumentar o tom da gritaria, juntar mais gargantas, fazer coro também fora da Leia mais… »

Combustão

Uau! O livro já chegou em minhas mãos todo molhado! Nem esperou para ser lido e apareceu aqui em combustão espontânea, por efeito dessas benditas cartas de Gregório e Hilda. Brincadeiras à parte, tive de esperar muitos dias para começar a ler “Combustão”, de Jeanne Araújo e Cefas Carvalho, lançado em dezembro pela Penalux. O livro Leia mais… »

Cama e mesa

A repórter se ajeitou no banquinho de madeira rente ao chão, enquanto Dalmira tentava controlar o choro para continuar seu relato. Levava ao rosto o lenço gasto e parava o olhar, perdido, a mirar o passado. Na face cansada e velha, apesar dos quarenta e poucos anos, escorriam as lágrimas expressivas dos sentimentos de uma Leia mais… »

Sim, nós precisamos do feminismo

Muita informação não está clara, outras tantas circulam de modo distorcido, milhares não alcançam a quem deveriam de fato alcançar. E a pergunta que se repete com frequência: “Feminismo pra quê?” Há quem não queira mexer nessa massa por medo de desandar, afinal, tem poder demais em jogo e, pode parecer estranho, mas há, sim, Leia mais… »

Catarina

Sou Catarina Medeiros. Tenho noventa anos. Viúva, mãe de quatro filhos, treze netos, três bisnetos. Moro sozinha na estância que construí com meu marido. Por aqui, hoje, só eu e três empregados na casa, que a mantêm em ordem e a mim, até que finalmente, se houver mesmo esse Deus em que tantos acreditam, que Leia mais… »

É simples: porque ela não quer

Não estou no meu lugar de fala, porque sou mãe, muito satisfeita por sinal, só que preciso me manifestar sobre mulheres que optam por não ter filhos. Sim, optam. Elas podem optar. Melhor: estão conseguindo falar a respeito. Estão conseguindo soltar a voz, se desprender do aprisionamento que é ser mulher em todas as situações Leia mais… »

Vitrine

Diante da vitrine ela cristaliza. Estática, vê a beleza estonteante exposta ali, diante dos seus olhos, que se arregalam, ao mesmo tempo em que ganham um brilho ansioso, misto de tentação e admiração aniquilantes. Ela não pode, não deve, porém uma atração irresistível a toma por completo. O corpo arrepia, as pernas amolecem, a boca Leia mais… »